Total de visualizações de página

Pesquisar no blog

Carregando...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

ATIVIDADE FÍSICA, EXERCÍCIO FÍSICO E ESPORTE



Diferentes formas de conceituar o exercício são apresentadas por vários autores que fazem diversas propostas sobre modelos ilustrados, bem como diferem entre si por focarem aspectos diferentes destes.
Os conceitos podem se referir à intenção, aos resultados pretendidos, e a localização.
· Atividade física
A atividade física é definida por Barbanti, (2003) no sentido mais restrito a “todo movimento corporal produzido pelos músculos esqueléticos que provoca um gasto de energias”, o autor destaca que o termo refere-se também à totalidade de movimentos executados no contexto do esporte, aptidão física, recreação, da brincadeira, do jogo e do exercício.
· Exercício físico
O mesmo autor conceitua exercício físico da seguinte maneira:
“O exercício físico é uma seqüência planejada de movimentos repetitivos sistematicamente com o objetivo de melhorar o rendimento”.
Vários tipos e formas de exercício podem ser apresentados Berger & Mcinman (1993) destacam que o “exercício” pode dizer respeito à:
a) Uma atividade realizada individualmente ou em grupo;
b) Um esporte competitivo ou uma atividade física de lazer;
c) Uma atividade aeróbia (Exercício produzido com baixa intensidade num longo espaço de tempo – definição avançada pelo American College of. Sports Medicine, 1971), citado por RIBEIRO (1988) ou,
d) Anaeróbia; (Exercício produzido num espaço de tempo breve e com muita intensidade – definição avançada pelo American College Of Sports Medicine 1971), citado pelo mesmo autor.
e) Exercício crônico ou agudo; (nível psicológico, sendo que a duração mínima para se denotarem alterações seja de 6 meses) (Brown et al, 1982); e, por fim,
f) Pode-se referir a uma atividade desenvolvida por sujeitos que diferem na sua condição e capacidades físicas.
Em qualquer atividade existe uma multiplicidade de fatores que vão variar e caracterizar cada situação em particular, como por exemplo, as características do treino, o ambiente em que se praticam os participantes, e até mesmo os instrutores.
· Esporte
Uma definição precisa de esporte é mais difícil devido à grande variedade de significados. Quase tudo que é entendido sob o termo esporte é menos determinado por análises científicas em seus domínios do que pelo uso diário e pelo desenvolvimento histórico e transmitido pelas estruturas sociais, econômicas, políticas e judiciais. Segundo Barbanti (2003) para os sociólogos do esporte uma definição bastante aceita é a seguinte: “É uma atividade competitiva, institucionalizada, que envolve esforço físico vigoroso ou o uso de habilidades motoras relativamente complexas, por indivíduos cuja participação é motivada pela combinação de fatores intrínsecos e extrínsecos”.
O objetivo no esporte é comparar rendimentos. O critério para comparações do que se realiza necessita da padronização do equipamento e das instalações, assim como da exigência de um procedimento quantitativo de comparação. Dentro do escopo da Ciência do Esporte, este é estudado de vários ângulos entre eles o da agressão. Pesquisas indicam que há vários modelos explicativos para as situações específicas do esporte, onde o comportamento agressivo não é apenas típico dos esportistas, mas dos espectadores também. Além da agressão a motivação também está fortemente relacionada no esporte além do estudo da ansiedade no contexto esportivo.
O esporte pode ser relacionado em vários contextos:
1. Aos diferentes grupos de participantes (universitários, homens, mulheres, estudantes etc.).
2. Aos diferentes tipos de esportes (individual, dual, de equipe etc.).
3. Aos vários níveis de competição (local, regional, nacional, internacional).
Bibliografia
Barbanti, V. J - Dicionário de Educação Física e do Esporte. São Paulo, Ed. Manole Ltda., 2003.
Brown, E, Morrow, J. & Livingston, S - Self-concept changes in women as a result of training .Journal of Sport Psychology, 4, 354-363, 1982.
Ribeiro, J. L. - Efeitos psicológicos da atividade física. Jornal de Psicologia, 7, 5, 10-14, 1988
Postado por Bruno José Gabriel 

Nenhum comentário:

Postar um comentário